quarta-feira, 22 de julho de 2009

Acidentes por animais peçonhentos - Serpentes


Acidente ofídico ou ofidismo é o quadro de envenenamento decorrente da inoculação de toxinas por meio do aparelho inoculador (presas) de serpentes. No Brasil, as serpentes peçonhentas são representadas por quatro gêneros. O gênero Bothrops (jararaca, jararacuçu, urutu, caiçaca, combóia) é o grupo mais importante, com mais de 60 espécies em todo o território, encontradas em ambientes diversos, desde beiras de rios e igarapés, áreas litorâneas e úmidas, agrícolase periurbanas, cerrados, e áreas abertas. As Crotalus (cascavel) são identificadas pela presença de guizo, chocalho ou maracá na cauda e têm ampla distribuição em cerrados, regiões áridas e semi-áridas, campos e áreas abertas. O gênero Lachesis (surucucu-pico-de-jaca) é habitante da Floresta Amazônica e dos remanescentes da Mata Atlântica, enquanto que as Micrurus (coral verdadeira) têm ampla distribuição no país.


O envenenamento ocorre quando a serpente é capaz de injetar o conteúdo de suas glândulas venenosas, localizadas de cada lado da cabeça, logo atrás dos olhos. Nem toda picada leva a um quadro de envenenamento. Há muitas espécies de serpentes que não possuem presas ou, quando presentes, estão localizadas na porção posterior da boca, o que dificulta a injeção de veneno ou toxina.

Na maioria dos casos, a história clínica e epidemiológica do acidente permite o diagnóstico do tipo de envenenamentouma vez que a identificação do animal é pouco frequente.

Os sinais e sintomas decorrentes do envenenamento ofídico dependem das atividades presentes nos quatro tipos de veneno: botrópico para as jararacas; laquético para as surucucus; crotálico para as cascavéis; e elapídico para as corais verdadeiras, cujos efeitos podem ser locais (na região da picada) ou sistêmicos (a distância). O tratamento com o soro antiofídico deve ser feito de maneira específica para neutralizar os efeitos de cada tipo de veneno.

O que é?

Serpentes peçonhentas são aquelas que produzem substância tóxica (veneno), apresentam aparelho especializado para inoculação desta substância, e possuem glândulas que se comunicam com dentes ocos, por onde o veneno passa ativamente.O ofidismo ou acidente ofídico é o quadro decorrente da inoculação do veneno no organismo, levando a alterações na região da picada e a distância.

Qual os agentes envolvidos?

Serpentes do grupo das jararacas, cascavéis, surucucus pico-de-jaca e corais verdadeiras.

Quais os sintomas?

No acidente por jararaca, a região da picada apresenta dor e inchaço, às vezes com manchasarroxeadas e sangramento pelos pontos da picada, além de sangramentos em gengivas, pele e urina.

Pode haver complicações como infecção e necrosena região da picada e insuficiência renal. Quadro semelhante ao acidente por jararaca, a picada pela surucucu-pico-de-jaca pode ainda causar vômitos, diarréia e queda da pressão arterial. Na picada por cascavel, o local da picada não apresenta lesão evidente, apenas uma sensação de formigamento; dificuldade de manter os olhos abertos, com aspectosonolento, visão turva ou dupla são as manifestaçõescaracterísticas, acompanhadas por dores musculares generalizadas e urina escura. O acidente por coralverdadeira não provoca no local da picada alteraçãoimportante; as manifestações do envenenamentocaracterizam-se por visão borrada ou dupla, pálpebras caídas e aspecto sonolento.

Quais os primeiros socorros em caso de acidente?

Lavar o local da picada de preferência com água e sabão; manter a vítima em repouso; levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo para que possa receber o tratamento emtempo.
Não se deve: fazer torniquete ou garrote, nãofurar, não cortar, não queimar, não espremer, não fazer sucção no local da ferida e nem aplicarfolhas, pó de café ou terra sobre ela para não provocar infecção; não dar à vítima pinga, querosene, ou fumo, como é costume em algumas regiões do país.

Como tratar?

Os soros antiofídicos são o único tratamento eficaze devem ser administrados em ambiente hospitalare sob supervisão médica. Não se recomenda o uso de soros fora do hospital pois a aplicação deve serfeita na veia e, sendo ele produzido a partir do sangue do cavalo, ao ser injetado no organismo{ humano, pode provocar reações alérgicas queprecisam ser tratadas imediatamente. Além disso, é preciso conhecer os efeitos clínicos dos venenos para se indicar o tipo correto e a quantidade de soro adequada para a gravidade.

Como se prevenir?

Não andar descalço. Usar luvas de couro nas atividades rurais e de jardinagem, nunca colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos deárvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou entre pedras. Quando entrarem matas de ramagens baixas, ou em pomarcom muitas árvores, parar no limite de transiçãode luminosidade e esperar a vista se adaptar aoslugares menos iluminados. Não depositar ou acumular material inútil junto à habitação rural, como lixo, entulhos e materiais de construção. Controlar o número de roedores existentes na área para evitar a aproximação de serpentes venenosas que deles se alimentam. No amanhecer e no entardecer, nos sítios ou nas fazendas, chácaras ou acampamentos, evitar a aproximaçãoda vegetação muito próxima ao chão, gramados ou até mesmo jardins pois é nesse momento queas serpentes estão em maior atividade. Protegeros predadores naturais de serpentes como as emas, as seriemas, os gaviões, os gambás e cangambás, e manter animais domésticos como galinhas e gansospróximos às habitações que, em geral, afastam as serpentes.

Nenhum comentário: