quarta-feira, 15 de julho de 2009

Breve histórico da Higiene Ocupacional


Ao longo dos anos houve sempre quem se preocupasse com a saúde dos trabalhadores, de forma que foram tomadas algumas iniciativas bastante modestas, mas sem o rigor técnico-científico necessário. Na época de Revolução Industrial, na Inglaterra, além de não se utilizar medidas de controle, o regime de trabalho, às vezes chegava a doze ou até dezesseis horas diárias. Algumas iniciativas de prevenção das doenças do trabalho foram tomadas, como mostro a seguir:


1556 - O pesquisador alemão Georgius Agricola, ou Georg Bauer, divulgou em sua obra De re metallica (Dos Metais) - publicada postumamente - a situação dramática dos trabalhadores em minas subterrâneas e descreveu métodos de prevenção de doenças utilizando a ventilação.


1700 - Bernardino Ramazzini - publica, em Modena, na Itália, o livro, escrito em latim, De morbis artificum diatriba (As doenças dos trabalhadores), que descrevia um grande número de doenças originidas dentro dos ambientes de trabalho.


1910 - A doutora Alice Hamilton, nos Estados Unidos, manifestou a preocupação com as doenças ocupacionais e a avaliação dos agentes e com o seu controle.


1914 - Criação da National Institute of Occupational Safety and Health (NIOSH), órgão de pesquisa em Segurança e Saúde no Trabalho. Atualmente a metodologia de avaliação da exposição ocupacional utiliza no mundo todo a metodologia por ela estabelecida.


1938 - Criação da American Conference of Governmental Industrial Hygienists (ACGIH), uma Associação dos Higienistas do Governo Americano e que desenvolver pesquisas sobre os Limites de Exposição Ocupacional para os agentes físicos, químicos e biológicos e Índices Biológicos de Exposição (IBE).


1939 - Criação da American Industrial Hygienists Association (AIHA).


1946 - Após oito anos de pesquisas, a ACGIH já possuía uma listagem de 148 substâncias com Limite de Exposição.


1966 - Criação da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - Fundacentro, como um compromisso do Brasil perante a Organização Internacional do Trabalho (OIT) de investimento em Segurança e Medicina do Trabalho.


1969 - Início das atividades da Fundacentro.


1978 - O Ministério do Trabalho em 8/6/1978 elabora a Portaria nº 3.214 com 28 Normas Regulamentadoras sobre segurança e medicina do Trabalho.


1987 - Criação da International Occupational Hygiene Association (IOHA), dedicada ao desenvolvimento da higiene ocupacional.


1992 - Introdução do mapa de riscos, possibilitando a participação dos trabalhadores no reconhecimento e na avaliação qualitativa dos ambientes de trabalho.


1994 - Criação da Associação Brasileira de Higienistas Ocupacionais (ABHO). Modificação da NR 09, transformando-a em um programa de prevenção de riscos ambientais (PPRA), que é um programa do nível de ação, isto é, se concentração ambiental atingir a metade do limite de exposição, a empresa é obrigada a introduzir medidas de controle.