quinta-feira, 16 de julho de 2009

Efeitos da vibração sobre o corpo humano

Os efeitos da vibração são complexos e difíceis de medir, sendo obtidos por experimentos com animais e aplicados ao homem como extensão.


Vibração de corpo inteiro

Esses elementos podem sofrer variações em função da alimentação, massa muscular, sexo, estatura, bem como doenças. Os efeitos psicológicos como a percepção, desconforto e dor, têm sido estudados em mais detalhes. Muitos desses estudos têm sido realizados com motoristas, pilotos, onde sua habilidade é testada em trabalhos complexos, em condições adversas.
A maioria dos testes foi feita com as pessoas sentadas ou em pé. Estes resultados foram usados na criação da norma ISO 2631, que estabelece critérios para vibração sobre o corpo humano na faixa de freqüência de 1 a 80 Hz. Na faixa de freqüência abaixo de 1 Hz ocorrem outros efeitos que são completamente diferentes dos produzidos em freqüências maiores. Esses efeitos não podem ser simplesmente relatados através dos três parâmetros (intensidade, duração e freqüência) como é relatado na faixa de 1 a 80 Hz. As reações abaixo de 1 Hz são extremamente variáveis, dependendo de um grande número de fatores externos não relacionados com a vibração (idade, sexo, visão, atividade, odor).
Acima de 80 Hz as sensações e efeitos são muito dependentes do local do ponto de aplicação, da direção e da posição e área em que a vibração é transmitida, e do amortecimento do ponto. Esses fatores externos influenciam grandemente a resposta da pele e dos tecidos superficiais afetados por frequências acima de 80 Hz.


Vibração localizada

A vibração transmitida ao sistema mão-braço é o segundo grande problema na área de transmissão de vibração sobre o corpo humano, diferentemente da vibração sobre o corpo todo, pelo tipo de problemas que apresenta. Ao passo que a vibração transmitida ao corpo de pé ou sentado aumentam problemas de natureza geral, por exemplo, desconforto, náusea, redução da eficiência no trabalho etc., a vibração aplicada na mão pode, em adição, produzir danos físicos localizados para níveis de exposição suficientemente altos. Os níveis de vibração encontrados em muitas ferramentas manuais comuns são suficientemente altos para causar danos quando operados por longos períodos. Típicas ferramentas são os martelos pneumáticos, britadeiras, furadeiras de impacto, motoserras, amplamente usadas em mineração, construção, indústrias e empresas florestais. A vibração pode ser transmitida para o corpo através de uma ou duas mãos encostadas em uma ferramenta vibratória. Para baixos níveis de vibração haverá desconforto e redução da eficiência do trabalho. Para altos níveis e longos períodos de exposição, ocorrem doenças que afetam os vasos sangüíneos, juntas e circulação.
Exposições severas levam a uma desordem progressiva da circulação, em que parte do corpo – usualmente os dedos da mão, quando a mão está presa em uma ferramenta – sofre um altíssimo nível de vibração. Esse tipo de alteração é encontrada na literatura como “mão morta” ou “doença do dedo branco” ou doença de Raynaud. Em casos extremos pode haver danos permanentes ou gangrena. Essas doenças e suas causas são constantemente estudadas por pesquisadores médicos e engenheiros.