quinta-feira, 30 de julho de 2009

O mecanismo da Audição


A orelha humana é um orgão altamente sensível, capaz de distinguir sons de frequência de vinte a vinte mil hertz e uma faixa de níveis de pressões um milhão de vezes maior. O mecanismo da audição é um processo de transformação de energias.

Pavilhão auditivo: recebe as ondas sonoras, concentrando-as e enviando-as ao tímpano pelo conduto auditivo.

Tímpano: transforma as vibrações sonoras em vibrações mecânicas que atuam sobre os três ossículos (martelo, bigorna e estribo).

Ossículos: eles transportam essas vibrações mecânicas para a orelha interna através da janela oval, aumentando a intensidade dessas vibrações e diminuindo sua amplitude, pois transformam uma vibração aérea em vibração em meio líquido.

Existem dois mecanismos de aumento dessa pressão, que é a relação de área entre o tímpano e a janela oval e a alavanca formada entre o martelo e a bigorna.

Os ossículos possuem um mecanismo de proteção contra o ruído excessivo, pois vibram segundo um determinado eixo, por meio de três pequenos ossículos, pois vibram segundo um determinado eixo, por meio de três pequenos músculos.

Quando o nível passa de 90 dB, os músculos se posicionam de modo a mudar o eixo de vibração, diminuindo a amplitude das ondas sonoras, isto é, ocorre um amortecimento.

Caracol: dentro dele, os órgãos ciliados de Corti transformam essas vibrações em meio líquido em impulsos elétricos que são enviados ao cérebro através do nervo acústico. As ondas sonoras são decompostas por faixa de frequência, pois casa grupo de órgãos de Corti é responsável pela percepção de determinada frequência, de forma que na base do caracol são percebidas as frequências mais altas e no topo, as mais baixas.

Cérebro: recebe a informação da intensidade por cada faixa de frequência, fazendo a composição final, analisando e identificando o som recebido.

Nenhum comentário: