terça-feira, 4 de agosto de 2009

Pare de fumar!!

1. O que é tabagismo?


Tabagismo é considerado pela Organização Mundial de Saúde uma doença pois a nicotina que o cigarro contém causa dependência e provoca alterações físicas, emocionais e comportamentais na pessoa que fuma. Assim, de acordo com a Classificação Internacional de Doenças, o tabagismo foi catalogado como “uma desordem mental e de comportamento, decorrente da síndrome de abstinência à nicotina” (CID10 F17.2). Além disso, o cigarro é uma droga que contém mais de 4700 substâncias químicas, 60 cancerígenas, e está associado a diversos tipos de doenças.


2. Como eu sei se sou dependente do cigarro?


Existem várias situações que demonstram se uma pessoa é dependente ou não: se você fizer uso do cigarro e não tiver controle sobre ele; se ao longo do tempo precisar de quantidades cada vez maiores do cigarro; se persistir no uso mesmo sabendo das conseqüências nocivas; se perder muito tempo na obtenção do cigarro deixando outras coisas de lado; se tiver períodos de vontade de fumar que você considera incontroláveis; se tiver sintomas de abstinência ao tentar parar de fumar.


3. Quais são as doenças causadas pelo fumo?


Foram já listadas mais de 50 tipos de doenças tabaco-relacionadas, destacando-se as doenças cardiovasculares, pulmonares e vários tipos de câncer. É preciso ressaltar que, ao circular pela corrente sanguínea, as substâncias tóxicas do cigarro podem atingir todo o organismo.

4. E adianta parar de fumar se já estou doente ou fumo há muito tempo?


Certamente que sim. Ao parar de fumar você permite a seu organismo recuperar-se dos danos causados pelo cigarro; em caso de doenças já instaladas, evita sua progressão e melhora sua qualidade de vida.


5. Existe tratamento para parar de fumar?


Sim, hoje contamos com diversas opções de tratamento para o tabagismo, que vêm se mostrando muito úteis para auxiliar o fumante no processo de abandono do cigarro. Podem ser utilizadas separadamente ou combinadas, e incluem:
medicamentos específicos que atuam sobre a vontade de fumar
terapia de reposição nicotínica (TRN) através de gomas de mascar, adesivos transdérmicos, spray nasal e inalante em aerossol
terapia cognitivo comportamental, com foco na cessação do tabagismo


6. Estes métodos de tratamento estão disponíveis no Brasil?


Sim, com exceção do spray nasal e inalante em aerossol.

7. Qual o mais eficaz?


A associação de recursos terapêuticos têm se mostrado o método mais eficaz para o tratamento, ou seja, combinar a terapia cognitivo comportamental com TRN e medicamentos eleva as possibilidades de sucesso no tratamento, mas cada caso deve ser avaliado individualmente.

8. Quando o fumante deve procurar ajuda?


Quando ele sente vontade de parar de fumar, não consegue ou teme não conseguir parar sozinho, independente do número de cigarros que consome. É também indicado quando já tentou outras vezes sem sucesso e quer abandonar o tabagismo.


9. Como estimular um fumante a se tratar?


É importante sensibilizá-lo quanto aos problemas relacionados ao cigarro para que ele mesmo opte por parar de fumar e busque tratamento se necessário. Alguns estímulos externos podem ajudar nesta decisão, como orientação médica, apoio familiar, restrição à publicidade do tabaco e divulgação ampla de seus malefícios, restrições legais quanto ao fumo em ambientes coletivos, mas é fundamental também o estímulo interno, ou seja, a determinação do indivíduo em mudar. Atitudes muito críticas, depreciativas ou cobranças mostram-se ineficazes.


10. Devo participar de um grupo ou fazer tratamento individual?


O tratamento em grupo tem sido muito utilizado pois o apoio mútuo e a troca auxiliam no processo de abandono do cigarro, mas ambos os casos são válidos e trazem bons resultados. Você pode optar ou decidir isto junto ao terapeuta que irá acompanhá-lo.

11. Há risco de ficar dependente se usar algum medicamento para parar de fumar?

Não, não há risco de dependência mas é necessária orientação médica quanto à indicação, uso adequado e possíveis restrições.


12. Quero parar mas tenho medo de não conseguir: o que fazer?


Toda mudança de comportamento gera medo. Saiba que é muito comum o fumante apresentar esta ambivalência, isto é, uma alternância entre o desejo de parar e ao mesmo tempo dúvidas ou temores. O que importa é que você tente, dê-se esta chance.


13. E se eu não conseguir, ou até parar e recair, quer dizer que sou incapaz ou fraco?


De forma alguma. A dependência ao tabaco é complexa e poderosa e portanto parar de fumar é uma conquista que pode levar tempo para algumas pessoas. Ao contrário do que se pode pensar, a cada nova tentativa aumentam as possibilidades de sucesso, por isso o importante é não desistir. Caso não consiga você pode tentar novamente.


14. Será que vou engordar se parar de fumar?


Não é raro que as pessoas engordem por alterações metabólicas após parar de fumar, em média entre 2 e 4kg; este ganho de peso tende a regredir e se normalizar após 6 meses sem fumar. Ansiedade, alterações na olfação, paladar e sedentarismo podem contribuir para um ganho de peso maior, mas este pode ser evitado mediante orientação adequada.


15. Posso fumar cachimbo ou charuto ao invés do cigarro?


Não, pois estes produtos também contêm substâncias nocivas ao organismo e meio ambiente. Sabe-se que as pessoas que fumam cachimbo ou charutos podem ter uma possibilidade maior de ter câncer de boca e língua, pois ambos não possuem filtro e a fumaça fica por algum tempo na boca.


16. É verdade que mesmo não sendo fumante posso ser prejudicado pela fumaça do cigarro?


Sim, são comprovados os prejuízos à saúde do chamado fumante passivo; quanto mais próximo e constante o contato com a fumaça do cigarro, maior o risco de desenvolver doenças tabaco-relacionadas. Evite ao máximo ficar perto de tabagistas quando estão fumando e saiba que por lei é proibido fumar em locais fechados*.

Nenhum comentário: