domingo, 24 de abril de 2011

Fundacentro abre inscrições para pós-graduação stricto sensu

Estão abertas desde a segunda-feira, dia 4, até 29 de abril, as inscrições para o processo seletivo de candidatos ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu “Trabalho, Saúde e Ambiente” – Mestrado Acadêmico. Coordenado pela Fundacentro, o curso é  gratuito e totalmente presencial, e será dividido em aulas teóricas e práticas na sede da Fundacentro em Pinheiros, São Paulo.

Embora o Programa tenha sido aprovado pela CAPES em dezembro de 2010, o coordenador do curso e pesquisador da Fundacentro Carlos Sérgio da Silva observa que já é uma idéia muito antiga da instituição promover tal curso. Há 10 anos, durante a realização da Semana da Pesquisa surgiu a idéia de um curso que pudesse dar visibilidade ainda maior às pesquisas da entidade.

"A idéia é que os seminários a serem desenvolvidos no curso sejam abertos ao público, de modo a contribuir para fóruns de discussão e trazer a sociedade para dentro da Fundacentro”, pontua Carlos.

Para ele, o “nascimento” da pós-graduação, além de ser um retorno das pesquisas e estudosà sociedade, formará alunos provenientes da área governamental e do setor privado, como também alunos de países de língua portuguesa e do Mercosul. “É um sonho e um grande desafio que temos pela frente”, observa.
O curso terá duração de 24 meses, com início em 22 de agosto de 2011. São 15 vagas por turma. É um mestrado acadêmico reconhecido pela CAPES.

Investimento e qualidade estão presentes no curso

Atenta para as exigências da CAPES na consecução e andamento do curso, a instituição conta com laboratórios e equipamentos de última geração para que os alunos, nas aulas práticas, possam adquirir conhecimentos do mais alto nível. Além disso, livros nacionais e internacionais foram adquiridos com o mesmo intuito, e que estarão disponíveis para consulta na biblioteca especializada em SST mais completa da América Latina.

Após realizar o exame seletivo constante de prova de português e inglês, e uma vez habilitado para a segunda fase e aprovado, o aluno poderá desenvolver suas pesquisas em consonância com seu orientador, dentro de uma das três linhas de pesquisa.
O curso conta com a participação efetiva de docentes e pesquisadores da própria instituição e docentes colaboradores, também da Fundacentro de outros estados da Federação. 

Uma observação feita pelo coordenador do curso é com relação às aulas. Pelo fato de serem presenciais, o aluno que trabalha, devidamente aprovado, necessitará de carta de autorização da empresa onde trabalha para que possa realizar as atividades correlatas ao curso.

Para ter acesso a todas as informações referentes à estrutura do curso, regimento interno, calendário acadêmico, disciplina e Edital de Seleção.

A Secretaria Administrativa do curso, funciona à rua Capote Valente, 710, Pinheiros, e atende pelo telefone (11) 3066.6062 e e-mail:

Carta da Terra

A primeira versão da Carta da Terra foi feita na Eco 92, no Rio de Janeiro. Oito anos mais tarde, em 2000, a Comissão da Carta da Terra, em Paris, apresentou o documento final. Desde então, a meta é promover sua disseminação, subscrição e implementação pela sociedade civil, empresas e governos, além de apoiar o uso deste instrumento em escolas, universidades e outras estruturas de ensino. Em linguagem poética, a carta nos fala de como seria uma relação harmoniosa entre as pessoas, e entre a humanidade e os demais seres vivos e mais: nos mostra que esse caminho é possível


PREÂMBULO

Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher o seu futuro. À medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e frágil, o futuro reserva, ao mesmo tempo, grande perigo e grande esperança. Para seguir adiante, devemos reconhecer que, no meio de uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma família humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos nos juntar para gerar uma sociedade sustentável global fundada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça econômica e numa cultura da paz. Para chegar a este propósito, é imperativo que nós, os povos da Terra, declaremos nossa responsabilidade uns para com os outros, com a grande comunidade de vida e com as futuras gerações.

TERRA, NOSSO LAR

A humanidade é parte de um vasto universo em evolução. A Terra, nosso lar, é viva como uma comunidade de vida incomparável. As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da vida. A capacidade de recuperação da comunidade de vida e o bem-estar da humanidade dependem da preservação de uma biosfera saudável com todos seus sistemas ecológicos, uma rica variedade de plantas e animais, solos férteis, águas puras e ar limpo. O meio ambiente global com seus recursos finitos é uma preocupação comum de todos os povos. A proteção da vitalidade, diversidade e beleza da Terra é um dever sagrado.

A SITUAÇÃO GLOBAL

Os padrões dominantes de produção e consumo estão causando devastação ambiental, esgotamento dos recursos e uma massiva extinção de espécies. Comunidades estão sendo arruinadas. Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos eqüitativamente e a diferença entre ricos e pobres está aumentando. A injustiça, a pobreza, a ignorância e os conflitos violentos têm aumentado e são causas de grande sofrimento. O crescimento sem precedentes da população humana tem sobrecarregado os sistemas ecológico e social. As bases da segurança global estão ameaçadas. Essas tendências são perigosas, mas não inevitáveis.

DESAFIOS FUTUROS

A escolha é nossa: formar uma aliança global para cuidar da Terra e uns dos outros ou arriscar a nossa destruição e a da diversidade da vida. São necessárias mudanças fundamentais em nossos valores, instituições e modos de vida. Devemos entender que, quando as necessidades básicas forem supridas, o desenvolvimento humano será primariamente voltado a ser mais e não a ter mais. Temos o conhecimento e a tecnologia necessários para abastecer a todos e reduzir nossos impactos no meio ambiente. O surgimento de uma sociedade civil global está criando novas oportunidades para construir um mundo democrático e humano. Nossos desafios ambientais, econômicos, políticos, sociais e espirituais estão interligados e juntos podemos forjar soluções inclusivas.

RESPONSABILIDADE UNIVERSAL

Para realizar estas aspirações, devemos decidir viver com um sentido de responsabilidade universal, identificando-nos com a comunidade terrestre como um todo, bem como com nossas comunidades locais. Somos, ao mesmo tempo, cidadãos de nações diferentes e de um mundo no qual as dimensões local e global estão ligadas. Cada um compartilha responsabilidade pelo presente e pelo futuro bem-estar da família humana e de todo o mundo dos seres vivos. O espírito de solidariedade humana e de parentesco com toda a vida é fortalecido quando vivemos com reverência o mistério da existência, com gratidão pelo dom da vida e com humildade em relação ao lugar que o ser humano ocupa na natureza.