domingo, 28 de dezembro de 2014

Equipamentos e ferramentas - NR 36

Os equipamentos e ferramentas disponibilizados devem favorecer a adoção de posturas e movimentos
adequados, facilidade de uso e conforto, de maneira a não obrigar o trabalhador ao uso excessivo de força, pressão, preensão, flexão, extensão ou torção dos segmentos corporais.

O tipo, formato e a textura da empunhadura das facas devem ser apropriados à tarefa, à mão do
trabalhador e ao eventual uso de luvas.

As ferramentas devem ser específicas e adequadas para cada tipo de atividade e tão leves e eficientes
quanto possível.

Devem ser adotadas medidas preventivas para permitir o uso correto de ferramentas ou equipamentos
manuais de forma a evitar a compressão da palma da mão ou de um ou mais dedos em arestas ou quinas vivas dos equipamentos.

As medidas preventivas devem incluir, no mínimo:

a) afiação e adequação de ferramentas e equipamentos;
b) treinamento e orientação, na admissão e periodicamente.

Os equipamentos manuais, cujos pesos forem passíveis de comprometer a segurança e saúde dos
trabalhadores, devem ser dotados de dispositivo de sustentação.

Os equipamentos devem estar posicionados dentro dos limites de alcance manual e visual do operador,
permitindo a movimentação adequada e segura dos membros superiores e inferiores e respeitando a natureza da tarefa.

Os equipamentos e ferramentas elétricas devem estar aterrados e as fiações e cabos devem ser
submetidos a revisões periódicas para verificação de sinais de desgaste ou outros defeitos que possam
comprometer a segurança.

As ferramentas e equipamentos de trabalho devem ter sistema de manutenção constante.

Devem ser consideradas as sugestões dos trabalhadores na escolha das ferramentas e dos
equipamentos manuais.

Os empregadores devem:

a) estabelecer critérios de exigências para a escolha das características das facas, com a participação dos trabalhadores, em função das necessidades das tarefas existentes na empresa;
b) implementar sistema para controle de afiação das facas;
c) estabelecer mecanismos de reposição constante de facas afiadas, em quantidade adequada em função da demanda de produção;
d) instruir os supervisores sobre a importância da reposição de facas afiadas;
e) treinar os trabalhadores, especialmente os recém admitidos ou nos casos de mudança de função, no uso da chaira, quando aplicável à atividade.
O setor ou local destinado a afiação de facas, onde houver, deve possuir espaço físico e mobiliário
adequado e seguro.